42194742_541376516313885_7275521982056103936_o.jpg

 

Iluminando Espaços Invisíveis – Retratos da Zona Leste

 

O projeto Uma Câmera Um Sorriso traz a proposta de através de crônicas fotográficas urbanas retratar o bairro de Itaquera

 

Contar nossa cidade, sua gente e seu tempo em imagens considerando as histórias ouvidas e narradas durante as saídas fotográficas é uma das propostas do projeto Uma Câmera Um Sorriso que busca através de temáticas que fazem parte da coletânea de Crônicas Fotográficas Urbanas fazer um registro fotográfico arte documental da cidade de São Paulo e seu tempo, num exercício de resgate e mantenimento da memória.

 

O projeto que já percorreu bairros como Bela Vista, Bixiga, Liberdade e Mooca, desta vez focou as suas lentes no bairro de Itaquera para através da fotografia de rua retratar os sorrisos, os afetos, os ofícios, o cotidiano e o inusitado deste bairro peculiar que vem crescendo e desenvolvendo-se rapidamente na zona leste de São Paulo.

 

“A exposição fotográfica final é considerada de extrema importância no processo do fazer fotográfico pois trata-se do “revelar” a fotografia e concretizar esta imagem como memória” relata o professor e fotógrafo Julio Maya que junto com Katia Ale Maya idealizaram o projeto. Para eles deixar como referência o resultado do trabalho realizado no qual a família, amigos e a comunidade são sempre convidadas a conhecer, prestigiar e também, a ver-se numa exposição é o que traz aos participantes a possibilidade de ver o resultado de seu esforço. “Buscamos através do resgate da memória, aguçar, a percepção dos participantes para sua realidade retratando seus moradores e o seu meio, e através destes olhares criar uma linha do tempo que nos conte a formação, transformação, perspectivas e indagações deste bairro ou cidade, considerando os afetos por ele despertado” completa Julio.

Ana Santos

CFI-1.JPG

Itaquera cujo significado derivado da língua tupi (Ita-Aker) que quer dizer “pedra dura”, atrai muitas pessoas que vem de fora do estado, que estão de passagem ou moradores de cidades vizinhas, como é o caso da Ana, vendedora de flores e de Ailton (retratado por Jéssica Belém), carpinteiro que chegam de localidades como Casa Verde e a vizinha Ferraz de Vasconcelos, para trabalhar na venda de seus produtos e na reforma de lojas locais, ambos tem em comum, a característica de serem autônomos e de verem no bairro oportunidades de trabalho.

Jose Carlos Cardhia 

Flaviana Pereira

O bairro de origem rural com suas antigas chácaras que produziam pêssegos cultivados pelos japoneses que ali chegaram e integraram-se à sua dinâmica de expansão, é um antigo reduto de trabalhadores nordestinos, indígenas e afrodescendentes presentes nas periferias de São Paulo. Nele é possível encontrar também a presença da comunidade árabe.

 

Izabel Nascimento

Jessica Belém

Jose Ailton Santos Reis

 

 

Contrariando a tendência de trazer ao público imagens da realidade comuns na fotografia de rua e muito presentes na atual mídia onde a narração imagética leva a interpretações muitas vezes negativas desta mesma realidade, Uma Câmera Um Sorriso, trata de resgatar a poesia presente no dia a dia dos moradores destes bairros e da cidade, trazendo para os alunos o desafio de “re-olhar” o entorno e a partir deste exercício captar imagens utlizando para isto técnicas do fazer fotográfico ministradas durante as aulas, aliadas ao aprimoramento e desenvolvimento do senso estético dos participantes, aplicados também na edição e curadoria para a exposição final.

Julia Morita

Jussara Fonseca

Kauã Cabral

Já o Sr. Antonio Carlos, que mora num casa totalmente reciclável, é um dos moradores personagens que reside há 30 anos no bairro e contou a Kauã Cabral, 26 e a José Carlos Cardia, 51, alunos que o entrevistaram e fotografaram que apesar de ter família que reside em apartamento habitacional, ele prefere estar na casa que construiu com objetos recicláveis que recebeu ou apanhou na rua, pois estes compõem seu habitat universo onde ele gosta de estar. Outro morador que reside em Itaquera há 21 anos, o Sr. Valteir Sanches é cearense e disse que traz o bairro no coração; ele vende água de coco e salgadinhos no Parque do Carmo e em entrevista com Julia Morita, 72, outra aluna da oficina que integra o projeto, falou com carinho da esposa, Maria do Socorro é designer de moda e atua na região do Bom Retiro.

Luiza Morin

Milton Toshio Uenaka

Mine Fusako

Peregrino Soliano

Rafael Rodrigo

Estas e outras narrativas, de personagens e cidadãos comuns que não estão necessariamente na mira dos holofotes da grande mídia ou nas capas de revistas é quem vão compondo com suas poéticas e beleza as atividades desenvolvidas durante as oficinas do projeto que iniciaram-se no ano de 2012 e que hoje conta com uma turma e didática transgeracional da qual participam alunos com idade 17 a 82 anos.

Rosário Oliveira

Tarso Araújo

Vita Mizael

Uma Câmera, Um Sorriso é um projeto de fotografia desenvolvido pela A Nau Ciranda Sinparedes Associação Cultural Brasil Colômbia que contou para esta exposição: Iluminando Espaços Invisíveis - Retratos da Zona Leste com a parceria e apoio da Oficina Cultural Alfredo Volpi e do Senac de Itaquera para sua realização. A exposição fica em cartaz até o dia 17 de outubro, de segunda a sexta-feira das 8 às 21 horas e sábados das 8 às 14 horas no Senac Itaquera, localizado na Avenida Itaquera, 8266, Vila Carmosina, telefone: 11 2185-9299. Não deixe de vir conhecer e prestigiar.